quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos...

Olá gente boa!
Está chegando o mês de setembro e com ele a primavera.
Para mim é tempo de agradecer a Deus pela vida, pela família, pelos amigos.
Posto essa música do Beto Guedes, na voz da dupla Cídia e Dan, pois além da melodia ser linda, a letra pode inspirar alguma reflexão....
Vamos inventar novas canções!

"Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou juntos outra vez
Já sonhamos juntos semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor, só nos resta aprender"
                      

Sol de Primavera - Cídia e Dan


domingo, 21 de agosto de 2011

Família nova no Campo Alegre

Tem gente nova no pedaço!
Nesses 3 vídeos (sem edição) mostro um gansinho recém nascido com sua mamãe. Esses gansos têm um estilo muito peculiar de procriar. Escolhem cada lugar para chocar seus ovos. E o macho fica sempre por perto enquanto a fêmea faz sua parte na “gestação”. Descobrimos o ninho de uma delas no pasto. Depois de por cada ovo ela o cobria com capim seco para mantê-lo seguro dos invasores indesejados. Isso dura vários dias até ela resolver que já tem o bastante para chocar.
No vídeo abaixo o Sr. Domingos adaptou uma banheira com água e uma rede para que o gansinho possa saborear ao lado da mãe os primeiros dias de vida. Sem a redinha ele não conseguia sair pois a borda da banheira é escorregadia.
Detalhe para as conversas ao fundo.

Mamãe gansa leva filhote para nadar...


Lago particular para filhote e mãe


Mãe e filhote


Vídeos do Campo Alegre

Amanhecer no Campo Alegre é um espetáculo!
Incrível como os dias não se repetem ali.
Percebam quantos sons diferentes lembrando que a vida renasce todo dia.
As imagens então, sem comentários! Neste período as orquídeas e íris estão dando seu show. E ainda têm os ipês, os manacás. Estes últimos exalam um perfume que inebria o ambiente.
Saboreiem! São imagens do final de semana.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Amanhecer no Campo Alegre 1


Dilminha em Rio Preto



A Presidente Dilma Rousseff esteve por aqui por umas horas para a entrega de 1.993 casas populares. Fico imaginando a alegria dessas famílias que estão de mudança para a casa nova. Quanta euforia, quantos planos! Quem sobrevoa Rio Preto percebe o tamanho desse novo bairro. Como nem só de teto vive uma família, esperamos que novas boas notícias cheguem para completar o bem estar dessas pessoas. Imaginem se cada casa receber uma família de quatro membros... serão praticamente 8.000 pessoas experimentando o prazer, a dignidade e o direito à moradia.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Santuário Dom Bosco em Brasília

        clique sobre a foto para ver o espetáculo

Para mim esse Santuário é uma das maravilhas da Capital Federal. Impressionante o impacto que os vitrais causam... eles são um instrumento privilegiado para a oração. Quem viajar por lá não deixe de incluir no roteiro. Apesar da Catedral (foto abaixo) ser o cartão postal mais conhecido, a experiência de estar por alguns minutos em silêncio no Santuário é muito marcante.

sábado, 13 de agosto de 2011

Ipê amarelo

Na maior parte do ano parece uma árvore comum, simples. Mas basta chegar o inverno que ela se prepara para o espetáculo de apenas alguns dias. É o ipê amarelo, árvore símbolo do Brasil.
Na rua, nos pastos, nas colinas, no cerrado ou no quintal da minha casa, quando ele floresce fica impossível passar despercebido. Suas flores são tão lindas, que muitos pássaros são atraídos pelo seu encanto. Nesse vídeo registrei a farra que alguns periquitos fizeram.            

Festa no ipê amarelo


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Campo Alegre, São Paulo, Brasília e Rio Preto

As últimas semanas têm sido muito corridas por conta das viagens. Quando chego já é quase hora da partida. Apesar do desgaste físico desse pula pula, tenho conseguido tirar proveito. Além do trabalho, os sentidos antenados apontam as peculiaridades de cada lugar. Frio, calor, chuva, cheiro, barulho, silêncio, natureza urbana, rural, paulistas, paulistanos, brasilienses puros, brasilienses candangos, metro, ônibus, avião bicicleta, carro, pés... e por aí vai um rol de diversidades. O impacto da chegada e permanência em São Paulo, contrasta com a vida pacata, mas intensa, do Campo Alegre. As caminhadas nos finais de tarde em Rio Preto, são intercaladas com as que faço no Parque da Cidade ou em Águas Claras, em Brasília. Em São Paulo, seja no imponente centro como no moderno Brooklin, sempre encontro uma padoca para café com conversa. Em Brasília já to ficando conhecido na Padaria Castanheiras, único lugar que conheço onde servem tapioca assada. Em Rio Preto, cafés da manhã em companhia da mãe, Sandra, calopsytas, Belle e Thor. No meio da correria, uma parada na Catedral da Sé para um momento de gratidão, ou, com mais tranquilidade, participar da missa na Dom Bosco em Brasília, bebendo da fonte...e o evangelho era ..."Coragem, sou eu, não tenham medo!"